Débora Molinari Viapiana

Quando Débora Molinari Viapiana começou a pensar no seu vestido de noiva já sabia que queria ‘fugir do óbvio’. “Não queria aquilo de ‘o vestido de noiva é igual para todo mundo’, nem me passou pela cabeça falar com outra pessoa que não fosse a Ana Dotto”, lembra.

Débora já tinha feito um outro vestido no atelier, há alguns anos, quando foi madrinha de casamento. “Tivemos ideias bem criativas. A Ana entrou na minha vibe de fugir do óbvio. Fizemos um vestido com uma estampa que minha irmã criou”.

Noiva e estilista começaram a conversar em março de 2020. As primeiras conversas precisaram ser online, devido a pandemia. Mas por já se conhecerem, isso não foi um empecilho. “Já confiava no trabalho da Ana e ela já conhecia meu estilo, foi quase como se tivesse sido presencial.

O vestido de Débora é todo liso na parte superior e com bordado em richelieu na barra, tem uma abertura nas costas e uma gola reta na frente. “Ficou super a cara do evento, elegante e ao mesmo tempo simples. Eu sabia que a Ana ia conseguir transformar o que eu queria em realidade. Foi um vestido que saiu bem do óbvio, gosto muito desses detalhes mais artesanais, desse resgate de trabalhos mais antigos como o richelieu”.

“Apesar da Ana ter um atelier referência, ela é muito simples, é muito fácil de conversar com ela. Ela tem um olhar muito técnico e de bom gosto, mas ao mesmo tempo é muito aberta para as opiniões da cliente. Ela pensa o vestido a partir da preferência da cliente, isso dá muita confiança de que vai ficar perfeito.” Além do vestido de Débora, Ana fez também os vestidos da mãe e das duas irmãs, que foram madrinhas do casamento.

Débora e o noivo, Tiago Verruck, casaram em junho de 2021, depois de algumas trocas na data em decorrência da pandemia. A celebração foi em Flores da Cunha, com casamento civil em uma igreja da cidade e recepção para 70 pessoas na Vinícola Viapiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A festa pode não ser grandiosa, mas o vestido sim