Betina Crossetti Vaucher da Cunha

Sabe aquela frase “distância nenhuma fará eu desistir de você”, que parece tirada de filmes hollywoodianos sobre história de amor? Pois é, ela virou realidade na vida de Betina Crossetti Vaucher da Cunha e João Pedro Rolim da Cunha.

Tudo começou em um feriado de Nossa Senhora dos Navegantes, em Capão da Canoa, no ano de 2018. Os dois já se conheciam de alguns anos antes, então, juntaram uma turma de amigos para passar o feriadão na praia. Era para ser uma diversão entre a galera, só que não contavam com o clima romântico que uma beira-mar pode dar. E foi assim que aconteceu o primeiro beijo, em frente as águas do mar. Eles passaram o fim de semana  juntos, mas, todo começo sempre tem um fim. Precisavam ir embora para trabalhar na segunda-feira, mas sabiam que não era só um romance de final de semana e que queriam continuar. Só que havia um obstáculo: Betina morava em Santa Maria e João em Rio Grande. 

Ou seja, ambos estavam a uma distância de cerca de 350 quilômetros! 

“Era difícil, mas não era impossível. Ficamos trocando mensagens e conversando o tempo todo. Quem nos via com o celular na mão, flagrava aquele sorriso torto, de quem já está apaixonado. E foi assim que, no início de março, ele me convidou para acompanhá-lo na formatura de um amigo. E eu fui! Assim, surgiu nós dois.”

Iniciado o namoro, o relacionamento deles foi marcado pela distância. Com pouco mais de meio ano, Betina decidiu deixar o Brasil e se mudar para Barcelona. João apoiou incondicionalmente a decisão dela. A diferença no fuso horário de 4 horas não impediu que a história deles continuasse.  Até que um dia, João desembarcou em terras europeias.

“Lembro do momento em que ele chegou em Barcelona. Rolou aquela cena de filme, onde eu esperava ele no aeroporto. Ele saiu do desembarque e eu estava ali. Ficamos abraçados por uns 5 minutos, sem falar nada. Nesse momento, pensamos que éramos o amor da vida um do outro.”

Com esse roteiro, é claro que teve um pedido de casamento. Eles noivaram no dia 20 de novembro de 2019. A ideia era casar em abril de 2021, mas, com a pandemia, a data foi remarcada para este ano.

Neste momento entra a Ana Dotto Atelier. Betina sempre ouviu falar bem dos vestidos dela e queria ver nascer pouco a pouco o seu traje ideal. A veste precisava mostrar a personalidade dela e encontrou na Ana uma parceira para montar o vestido dos sonhos.

“Ela fez um modelo leve, com uma renda moderadamente bordada e com tule poá. O busto foi drapeado com barbatanas. A saia (perfeita por sinal), levava flores em 3D, confeccionada pela avó da Ana! O longo véu recebeu um toque muito especial. Ele levava o nosso monograma e mais flores aplicadas. Perfeição!”

Feito o vestido, veio o casamento. Os dois escolheram oficializar a relação na Igreja Nossa Senhora das Dores e a celebração foi realizada no Hotel Palace Itambé, em Santa Maria. A singularidade do casório ficou por conta do padre Xico, que transmitiu uma mensagem que Betina e João levam para a vida: Não existe mais a palavra “eu”, apenas “nós”.

“Nosso encontro no altar foi como paralisar o tempo. Nós só enxergávamos nós dois. Todo o nervosismo acabou quando pegamos na mão um do outro. Sentimos um amor e uma energia surreal.”

Betina acredita que o casamento significa a união de duas famílias, prontas para formar outra.

“Casar não é se aventurar e nem dar um ‘tiro no escuro’, mas sim, um projeto sério de vida, onde cada um está comprometido em fazer o outro crescer, e ser melhor a cada dia.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gisele Tonatto

O casamento de cada estação